Notícias

Notícias

23/06/2015 14:43

Capacitação de técnicos deve começar no próximo semestre e trará mais eficiência às ações de supervisão
 
Da Redação (Brasília) – O ministro Vital do Rego, do Tribunal de Contas da União, em encontro com o ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, propôs a formalização de acordo que capacitará técnicos e possibilitará a auditoria coordenada de Regimes Próprios pelo TCU e tribunais de contas estaduais e municipais.

Municípios têm até o dia 12 de novembro para instituir dispositivos de Acesso à Informação.

O prazo final concedido às gestões municipais para a implantação dos Portais da Transparência e dos dispositivos de Acesso à Informação dos municípios tocantinenses termina no dia 12 de novembro. O presidente da Associação Tocantinense de Municípios (ATM) e prefeito de Brasilândia, João Emídio de Miranda, alerta os gestores municipais quanto ao cumprimento do prazo.

Caros Prefeitos, Presidentes de Autarquias/Fundos, Secretários, Gestores e demais Servidores, em especial os participantes do Curso GESTÃO DE FOLHA DE PAGAMENTO NO SERVIÇO PÚBLICO E PREVIDÊNCIA!

A empresa ICOGESP, em nome de sua Diretora Lidiana Pereira Barros Côvalo, agradece a presença e a confiança depositada no curso de GESTÃO DE FOLHA DE PAGAMENTO NO SERVIÇO PÚBLICO E PREVIDÊNCIA, realizado nos dias 10 e 11 de agosto de 2015, desejamos que o conteúdo brilhantemente repassado pelo experiente e competente instrutor, Prof. Dr. Inácio Magalhães Filho, possa ajudar no desenvolvimento das capacidades profissionais e na execução de suas atividades diárias em seus Órgãos.

Agradecimento especial ao Prof. Dr. Inácio Magalhães Filho, pelo carinho e dedicação e por disponibilizar seu tempo, por vezes tão restritos, para disseminar seus conhecimentos.

Que nos próximos cursos durante todo esse ano possamos estar juntos novamente, compartilhando mais uma vez as nossas conquistas!

...O nosso caminho é feito pelos nossos próprios passos...

A Administração Pública atravessa período em que o foco de sua atividade precisa estar centrado na melhoria da gestão. Afinal esse é o anseio da sociedade que, a cada dia, cobra mais profissionalismo e resultado do setor público. Na área de recursos humanos, a exigência é ainda maior, notadamente em função da relevância de se controlar gastos com pessoal em prol de melhorias na implantação de políticas públicas prioritárias.

 

1 2

 

Multiplicar o potencial empreendedor e aumentar as chances de sucesso são alguns dos objetivos do Seminário Empretec. O diferencial desta turma, que acontecerá na negião norte do Tocantins, é que ela será voltada ao produtores rurais, técnicos de ciências agrárias e empresários do ramo do agronegócio. As inscrições podem ser feitas até esta sexta-feira, 7, e as entrevistas acontecem de 17 a 21 deste mês.

As aulas do seminário serão realizadas de 24 a 29 de novembro, quando serão trabalhadas as dez características empreendedoras: busca de oportunidade e iniciativa; persistência; correr riscos calculados; exigência de qualidade e eficiência; comprometimento; busca de informações; estabelecimento de metas; planejamento e monitoramento sistemáticos; persuasão e rede de contatos; e independência e autoconfiança.

Para o gerente da unidade da região norte do Sebrae, Francisco Ramos, o seminário auxilia não só quem deseja abrir um negócio. “Ser empreendedor não significa ser empresário e sim ter atitudes que possam contribuir para desenvolver a empresa onde trabalha, por exemplo”, afirma Ramos. Ele explica que empreender é buscar novas experiências, assumir mais riscos, pensar de forma diferente, ter coragem de expor e valorizar novas ideias, buscar alternativas e correr atrás da realização.

“Esse é o treinamento mais avançado da matriz do Sebrae, sendo uma solução educativa que pode ajudar tanto quem já atua no ramo empresarial como quem pretende iniciar atividade neste segmento ou em qualquer outra área. Com uma metodologia interativa e vivencial, o Empretec estimula mudanças no comportamento empreendedor, que influenciam diretamente na tomada de decisão”, finaliza Francisco Ramos.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (63) 3414 6100, com Francisco Alexandre, no escritório do Sebrae, em Araguaína.

Empretec Rural
É um programa para Empresários e Futuros Empreendedores do Agronegócio, executado no Brasil pelo Sebrae em parceria com o PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e a ABC/MRE – Agência Brasileira de Cooperação, do Ministério das Relações Exteriores. Trata-se de mais uma iniciativa que se soma ao universo dos instrumentos de apoio colocados à disposição dos Empresários do Agronegócio.

Quarta, 05 Novembro 2014 11:29

Fundeb Conselheiros apontam dificuldades

Conselheiros do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) dos municípios de Araguaína, Aragominas, Araguanã, Carmolândia, Muricilândia, Nova Olinda e Santa Fé do Araguaia se reuniram na última segunda-feira com o promotor de Justiça do Ministério Público Estadual (MPE) Sidney Fiori Júnior para discutir questões relacionadas ao funcionamento dos conselhos.

O objetivo é diagnosticar situações que contrariem os dispositivos da lei que regulamenta o Fundeb. Foram apresentadas algumas demandas, como em Muricilândia e Santa Fé do Araguaia, onde os conselheiros relataram ter dificuldades para realizar reuniões, devido à falta de local adequado.

A lei determina que a infraestrutura e condições materiais adequadas à execução plena das tarefas dos conselhos são obrigação da União, dos Estados e dos municípios.

O promotor informou que orientou os conselheiros a reunir documentos e outras provas para a formulação de uma denúncia formal para posterior apuração dos fatos e a tomada de outras medidas cabíveis.
1.703643

Quarta, 05 Novembro 2014 11:27

Aumento de repasse do FPM é aprovado

Proposta que dá um ponto percentual a mais aos municípios será votada novamente pelo plenário da câmara.

Por unanimidade, a Câmara dos Deputados aprovou em primeiro turno uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que dá um aumento de um ponto percentual ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM). A medida tem potencial de causar um impacto bilionário ao caixa da União quando entrar em vigor. Para ser promulgado, o texto precisa ainda passar por uma nova votação no Plenário da Casa.

A incrementação do FPM, segundo a proposta, será dada em duas parcelas: 0,5 ponto percentual no primeiro exercício financeiro em que o projeto surtir efeito e o restante no exercício subsequente. Dessa forma, se a emenda constitucional for promulgada ainda neste ano, começará a surtir efeito em 2015 e somente no ano seguinte será repassado todo o aumento.

Num momento em que a União sofre com resultados fiscais negativos, a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) calcula que a medida terá um impacto de R$ 2,3 bilhões no ano que vem e de R$ 4,6 bilhões em 2016.

O FPM é composto hoje por 23,5% da arrecadação do Imposto de Renda (IR) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Os municípios reclamam que a política de desoneração desses tributos promovida pelo governo Dilma Rousseff tem sufocado o caixa das cidades e pressionam no Congresso por um aumento da fatia do fundo.

A demanda das entidades municipalistas era que o FPM fosse encorpado em dois pontos percentuais. Mas, diante da resistência do Palácio do Planalto, aceitaram um reajuste menor.

“Não é o ideal, mas é um avanço”, disse mais cedo o presidente da Casa, deputado Henrique Eduardo Alves.

rombo

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) calcula que a medida terá um impacto de R$ 2,3 bilhões no ano que vem e de R$ 4,6 bilhões em 2016.

Orçamentos 2015. Sinal de alerta para gastos com pessoal

Situação do Estado preocupa mais; Palmas segue dentro da LRF, mas terá acréscimo de 23,2%

A tramitação dos projetos das leis de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do Estado e da Capital nos respectivos Legislativos já abre espaço para a análise de um possível quadro financeiro de Palmas e do Tocantins para o ano que vem. Mesmo com altas nas receitas, o gasto com pessoal poderá representar um desafio para ambas administrações.

No caso do governo do Estado, que fechou 2013 acima do limite máximo permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), e passou o ano de 2014 tendo de realizar uma série de cortes e reajustes do quadro funcional - como a última medida que resultou em exoneração de todos os ocupantes de cargos em comissão - o remédio deverá ser amargo. Mesmo com previsão para aumento de receitas (vide quadro), 2015 deverá ser um ano de contenção de gastos com pessoal ou de novo estouro da LRF.

Já a Prefeitura de Palmas tem situação mais confortável, mas também deverá seguir em alerta no próximo ano. A receita prevista para 2015 teve alta de 14,2%, mas o gasto com pessoal deverá subir, de acordo com a previsão da administração, 23,2%.

O Paço ainda não passou pela situação de ter restrições ao burlar a LRF, mas também já buscou formas de “driblar” essa legislação, como as parcerias feitas com a Oscip Ises para contratação e gestão de pessoal, que no momento são alvos do Ministério Público Estadual (MPE).

Apesar da alta prevista no gasto com pessoal, a prefeitura da Capital também prevê aumento de gastos com investimentos. O valor previsto deverá ser acrescido em 24,8% passando dos R$ 235,8 milhões para R$ 313,2 milhões. Para o governo estadual, outra preocupação poderá vir do governo federal. É que a previsão de repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE) teve acréscimo ínfimo, de 4,20%. A previsão de 2014, por exemplo, foi cerca de 18% maior que a de 2013. Os valores previstos ainda podem sofrer frustração.

Crédito

Em relação à receita para o ano que vem, o projeto de lei enviado à Assembleia, prevê também o montante que entrará em caixa a partir de operações de crédito. “Para o exercício de 2015 estão previstos R$ 796.377 milhões e foram obtidos em conformidade com os contratos com saldo a liberar nos três próximos exercícios”, explicita o documento disponível aos deputados.

A prefeitura de Palmas prevê, em operações de crédito, um montante de R$ 129.915.500,00. O valor é 11,6% maior do que o montante previsto na meta fiscal de 2014.

Entenda

As LDOs trazem as metas fiscais, na forma de resultados primários esperados. São, antes de tudo, uma projeção que o poder Executivo faz de quanto poderá arrecadar e do montante que deverá gastar.

Elas são enviadas para o Poder Legislativo, que analisa e propõe as mudanças que achar necessárias. São as LDOs que orientarão a Lei Orçamentária Anual (LOA) de cada Executivo. Essa sim, irá trazer as efetivas ações, com custos e prazos definidos, para execução no ano fiscal seguinte.

Prazos

No caso da LDO do governo estadual, o relator do projeto na Assembleia é o deputado estadual José Augusto Pugliesi (PMDB), presidente da Comissão de Finanças, Tributação, Fiscalização e Controle.

Na próxima terça-feira se encerra o prazo para que os deputados estaduais apresentem emendas. Depois, Pugliesi terá 15 dias para emitir seu relatório. Na Câmara Municipal de Palmas, o relator designado é o vereador Folha (PTN). A LDO municipal entrou em tramitação na última semana e ainda corre o prazo, de dez dias, para os vereadores apresentarem suas emendas.

Enquadramento no Simples Nacional começa na segunda

O agendamento da opção para a empresa em atividade que deseja enquadrar-se no Simples Nacional a partir de 2015 pode ser feito a partir de segunda-feira (3). O encerramento está previsto para 30 de dezembro deste ano.

O procedimento tem a finalidade de auxiliar as empresas que querem antecipar providências relativas à opção. Conforme representantes do Comitê Gestor do Simples Nacional, há duas possibilidades para o processo de agendamento.

A primeira é o deferimento imediato, quando não há pendências à opção. Dessa forma, a empresa estará automaticamente no Simples Nacional a partir de 1º de janeiro de 2015.

A segunda é o indeferimento, quando há pendências. As mais comuns são relativas à existência de débitos tributários com os fiscos federal, estaduais, municipais e do Distrito Federal. Havendo pendências, a empresa pode resolvê-las e, após isso, cadastrar novo agendamento.

A empresa que não fizer o agendamento ou que não conseguir resolver as pendências no prazo pode fazer a opção normal pelo Simples Nacional em janeiro de 2015.

O Simples Nacional é um regime tributário diferenciado, simplificado e administrado por um Comitê Gestor composto por quatro integrantes da Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB), dois dos estados e do Distrito Federal e dois dos municípios.

O Simples abrange o IRPJ, CSLL, PIS/Pasep, Cofins, IPI, ICMS, ISS e a Contribuição para Seguridade Social destinada à Previdência Social da pessoa jurídica. Eles podem ser recolhidos mediante documento único de arrecadação.

Podem participar do Simples, as Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP) que não incorram em nenhuma das vedações previstas na Lei Complementar nº 123, de 2006.

Segunda, 03 Novembro 2014 09:37

Queda de analfabetismo não reduz desigualdade

Escolaridade entre as mulheres melhora, no entanto, o IBGE aponta que os homens continuam tendo rendimento maior

Julliana Ribeiro - Palmas 01 de novembro de 2014 (sábado)
quadroeconomia

A taxa de analfabetismo entre as mulheres é menor que entre os homens, elas se educam mais e, ainda assim, têm rendimento menor que os homens no Tocantins, segundo revela o levantamento Estatísticas de Gênero - Uma análise dos resultados do Censo Demográfico 2010, divulgado ontem, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Conforme o IBGE, a taxa de analfabetismo entre as mulheres no Estado é de 11,8% (2010) e entre os homens, de 13,9% (2010). Em 2000, essas taxas eram de 16,8% e 18,9%, respectivamente. A taxa de analfabetismo geral no Estado é de 12,9% (2010) ante 17,9% (2000).

Para as mulheres, a redução da taxa de analfabetismo não refletiu na redução da desigualdade de emprego e renda. Os dados do IBGE revelam que, no Estado, o rendimento médio das mulheres corresponde a 65,3% (2010) dos ganhos dos homens, maior que em 2000, quando esse percentual era de 62,7%, portanto, neste quesito, a desigualdade é menor que há dez anos.

Apesar das desigualdades, o levantamento mostra ainda que, aumentou a participação da mulher no rendimento e no comando das famílias. As mulheres tocantinenses são responsáveis por 41,7% do rendimento familiar, bem maior que em 2000 (30,4%). Também cresceu a proporção de famílias com mulheres no comando. Em 2010, eram 36,7% enquanto, em 2000, esse percentual era de 19,6%.

No mercado de trabalho, o número de mulheres economicamente ativas saltou de 162.390 (2000) para 249.622 (2010), um crescimento de 53,7%. Entre os homens, o crescimento da população economicamente ativa, em uma década, foi bem menor, chegando a 23,5%, com 293.748 (2000) e 362.919 (2010).

Já o número de mulheres com trabalho formal é menor que o de homens. Em 2010, enquanto 155.856 homens ocupavam vagas formais de trabalho, 107.299 mulheres tinham carteira assinada, número 31,1% menor. Em 2000, eram 83.271 e 52.649, respectivamente.

Brasil

No País, segundo o IBGE, das 50,0 milhões de famílias que residiam em domicílios particulares em 2010, 37,3% tinham a mulher como responsável. O instituto explica que o critério para definir a pessoa responsável pela família “é de que seja aquela pessoa que era reconhecida como tal pelos demais membros da unidade doméstica”.

O indicador utilizado para analisar a contribuição do rendimento monetário das mulheres foi a média do percentual do rendimento monetário das mulheres, de 10 anos ou mais de idade, em relação ao rendimento monetário familiar total. No Brasil, este indicador foi 40,9%, enquanto para os homens a média da contribuição foi 59,1%, em 2010. Sobre a taxa de analfabetismo, em 2010, eram próximas, 9,1% entre as mulheres e 9,8% entre os homens.

No Brasil, o rendimento da mulher corresponde a 67,6% do que o homem ganha.

ICOGESP - Instituto de Consultoria e Gestão Pública
L. P. B. Covalo - ME    -    CNPJ: 17.543.642/0001-30

Quadra 106 Norte, Av. JK, Conj. 01, Lote 24, Sala 102
Plano Diretor Norte   -   Palmas-TO
CEP: 77.006-044

(63) 3215-0357 / 8445-4532 / 9283-8298
icogesp@icogesp.com.br

© 2013-2017 ICOGESP. Todos os Direitos reservados.

Envie um E-mail

Nome 
E-mail 
Assunto 
Mensagem 
    

Responsabilidade Social

Faça como nós,

 Desenvolvido por  OceanoAzul 100x27